goncin@wordpress.com:~$ _

Linux, programação e toda sorte de nerdices

Arquivos de tags: openjdk

Java: a hora e a vez do OpenJDK

Antes de mais nada, corrijam-me se eu estiver errado. Não sou desenvolvedor Java, sou antes um usuário da plataforma.

Com a aquisição da Sun Microsystems pela Oracle, em janeiro de 2010, o rumo do desenvolvimento da plataforma Java, e de outros projetos open source antes patrocinados pela empresa adquirida, foi radicalmente alterado. Em linhas gerais, pode-se dizer que a Oracle subiu o tom com as comunidades e ecossistemas formados em torno daqueles projetos, levando-os a redefinir sua forma de colaboração. O fato mais notável decorrente dessa nova conjuntura, sem dúvidas, foi o surgimento da The Document Foundation, criada especificamente para gerir o LibreOffice, um fork do OpenOffice.org. A comunidade da suíte de escritório concluiu que não poderia continuar nos termos que a Oracle passou a impor, e preferiu iniciar um novo projeto, baseado no primeiro, mas sem esperar nada de Larry Ellison – nem patrocínio, muito menos ordens.

Em relação ao Java, a postura da Oracle foi ainda mais pedante. Acreditando que números de alta cifra (milhões de desenvolvedores e bilhões de dispositivos, segundo ela mesma) lhe conferem autoridade para tanto, a empresa arrogou para si – e somente para si – o direito de distribuir sua versão “proprietária” do Java, tanto o SDK (para desenvolvimento) o JRE (para executar as aplicações). Com isso, as inúmeras distribuições Linux ficam proibidas de distribuir o Java da Sun Oracle.

Num momento em que até a Microsoft, a partir do Windows 8, está adotando o conceito de app store no sistema operacional, é uma contratendência e tanto. A ideia, já adotada há anos pelas distros Linux e mais recentemente pelas plataformas móveis, é que o usuário não tenha que “correr atrás” das aplicações de que precisa, visitando inúmeros sites e fazendo downloads nem sempre confiáveis. Com as centrais de aplicativos, a instalação da solução está a um clique (ou dois, ou três…), dentro do próprio ambiente do SO. Nesse contexto, a Oracle obrigará quem precisar de sua versão do Java a visitar o respectivo site para baixá-lo. No mundo Linux, suspeito, só agirá assim quem realmente necessitar do Java “proprietário”.

A partir dessa (controversa) decisão, as distros passarão a entregar somente o OpenJDK/OpenJRE, a versão do Java 100% livre. O que muda com isso? Para o usuário médio, quase nada. O OpenJDK parece estar maduro o suficiente para a maioria dos usos. Desenvolvo em PHP utilizando Netbeans como IDE, e posso afirmar que o ambiente integrado funciona tão bem com o OpenJRE quanto era com o JRE proprietário.

Vale lembrar que a versão 7 da plataforma Java também já está disponível em implementação open source, e será padrão na próxima versão do Ubuntu, a Oneiric Ocelot (11.10), que será disponibilizada ainda este mês. Para aqueles que não quiserem ou não puderem esperar, é possível instalar o OpenJDK/OpenJRE no Natty utilizando um PPA, assim:

sudo add-apt-repository ppa:dlecan/openjdk
sudo apt-get update
sudo apt-get install openjdk-7-jdk

(No último comando, basta substituir openjdk-7-jre para instalar somente o JRE. Para instalar o código fonte, acrescente openjdk-7-source.)

Mas, por óbvio, nada é perfeito. Há aplicações (ou deveria eu escrever “internet banking de bancos brasileiros”?) que foram feitos com e somente para para o Java “proprietário”. Quem projeta e desenvolve essas soluções que ignoram o OpenJDK deve, agora, rever suas concepções. A alegação de suportar somente o Java da Oracle, no mais das vezes, é calcada nos termos “segurança” e “homologação”. Pode-se contra-argumentar que a Oracle, sentada sobre os impressionantes números que já citei, sente-se confortável o bastante para relegar as falhas de segurança da plataforma Java a segundo plano, não se empenhando em saná-las. Tanto é assim que a Fundação Mozilla está considerando seriamente desativar o plugin do Java nas próximas versões do Firefox. Isso sem mencionar as frequentes críticas que são feitas à arquitetura da plataforma, às quais a empresa parece não querer oferecer uma resposta à altura.

Por tudo isso, creio que poderemos ver, num médio prazo, o futuro do Java sendo decidido exclusivamente pela comunidade Java, num cisma semelhante àquele que deu origem à The Document Foundation. A chave para que isso aconteça é a adoção maciça do OpenJDK, entregue pelas distribuições Linux e, quiçá, pelos próprios desenvolvedores Java, em conjunto (bundled) com suas aplicações. Só assim, vendo diminuída sua base de usuários, a Oracle venha a sair de sua zona de conforto e mude de atitude.

%d blogueiros gostam disto: