goncin@wordpress.com:~$ _

Linux, programação e toda sorte de nerdices

JetBrains PhpStorm: o novo garoto no quarteirão dos IDEs para PHP

Desde o ano passado (pelo menos), o pessoal da JetBrains vinha trabalhando num novo IDE para PHP. Cheguei a baixá-lo durante a fase de desenvolvimento, quando então o novo produto sequer tinha um nome definitivo ainda (era chamado simplesmente de “JetBrains Web IDE”), e se apresentava bastante promissor. A empresa parecia estar buscando o feedback dos desenvolvedores PHP para construir um produto específico para eles. Pois bem, o tempo se passou e finalmente foi lançada a primeira versão do IDE, agora batizado oficialmente como JetBrains PhpStorm.

Antes que me questionem: o JetBrains PhpStorm não é open source 😦 , mas tem um esquema de licenciamento bastante generoso, e sai na faixa para estudantes e desenvolvedores de projetos open source (!). E, mesmo que não se enquadre nas duas situações anteriores, adquirir uma licença dele sai mais barato que outras IDEs comerciais, como o Zend Studio, por exemplo. Seja como for, qualquer um tem 45 dias para testá-lo na condição de trial.

A pergunta, portanto, é outra: o que ele oferece em troca do preço da licença? É o que eu vou tentar desvendar de agora em diante.

Baixei a versão para Linux (uso o Ubuntu 10.04 LTS) e descompactei numa pasta sob a minha /home. Para iniciá-lo, há o script webide.sh sob  <pasta do JetBrains PhpStorm>/bin.

O JetBrains PhpStorm, assim como o Netbeans e o Eclipse, também roda sobre a plataforma Java, mas, ao contrário de seus “colegas”, pareceu-me muito mais leve para carregar. Afora o carregamento, confesso que primeira impressão não foi das melhores. O PhpStorm não assumiu o look and feel padrão do GNOME, e sua aparência padrão é horrível, para dizer o mínimo. Mas é bem fácil modificar isso: basta ir em File > Settings (aliás, um local um tanto quanto não-usual para as configurações; precisei consultar a Ajuda do produto para localizá-las), e, na guia IDE Settings > Appearance, alterar o Look and Feel para GTK+.

Resolvido o problema da aparência, criei um projeto, utilizando fontes já existentes. Eis o que obtive:

JetBrains PhpStorm com projeto carregado

JetBrains PhpStorm com projeto carregado

Isso feito, fui procurar como configurar o servidor remoto para o upload (deployment) da aplicação. Esperava eu encontrar essas configurações clicando com o botão secundário do mouse sobre o nome do projeto na árvore à esquerda, mas nada. Descobri que as configurações do projeto ficam também em File > Settings, e concluí em definitivo que, para se trabalhar com o PhpStorm, é necessário mudar o conceito de “onde ficam as coisas”. Deixando esses entraves conceituais à parte, pode-se configurar o deployment em File > Settings > Project Settings > Deployment > Options. E, aqui, uma ótima surpresa: além dos métodos FTP e SFTP, que são praxe, o PhpStorm permite também a criação de destinos em pastas montadas ou locais (!), para o caso de se ter acesso ao servidor Web pela rede local, o que é o meu caso. Esse tipo de configuração eu só havia visto antes no Adobe Dreamweaver.
Opções de destinos de "deployment" no PhpStorm

Opções de destinos de "deployment" no PhpStorm

Após o destino configurado, é possível enviar o arquivo para o servidor remoto clicando sobre o arquivo desejado na árvore do projeto e selecionando Upload to <nome do projeto>. Faltou, porém, uma opção de download a partir do servidor remoto, e a função Synchronize parece não ter sido ainda implementada: ao ser acionada, informa que o processo foi concluído com sucesso, mas nada acontece efetivamente.

A função de Code Completion é muito boa, retornando as sugestões quase que instantaneamente.

"Code completion": nem dá tempo de pensar

"Code completion": nem dá tempo de pensar

A impressão geral e inicial passada pelo JetBrains PhpStorm é a de um produto que está no caminho certo, mas que, apesar de estampar 1.0.2 como número de versão, demonstra ter ainda muito o que melhorar e evoluir. Nos próximos dias, continuarei explorando-o. Pelo que já vi de suas capacidades de depuração, a configuração parece ser a mais fácil dentre todos os IDEs que já analisei. Espero voltar em breve com um post específico sobre este tópico :).

Enquanto isso, se você desenvolve em PHP e puder fazê-lo, baixe também o JetBrains PhpStorm e dê um pouco de atenção a ele. Tudo leva a crer que valerá bastante a pena.

Anúncios

5 Respostas para “JetBrains PhpStorm: o novo garoto no quarteirão dos IDEs para PHP

  1. ksafonov 28/08/2010 às 01\0158

    > Faltou, porém, uma opção de download a partir do servidor remoto, ea função Synchronize parece não ter sido ainda implementada: ao ser acionada, informa que o processo foi concluído com sucesso, mas nada acontece efetivamente.

    Please see discussion at http://youtrack.jetbrains.net/issue/WI-2210.

  2. Pingback: Anônimo

  3. Renato Tavares 28/08/2010 às 08\0853

    qual é melhor Zend Studio ou NetBeans

    • goncin 28/08/2010 às 13\0110

      Renato,

      Pessoalmente, prefiro o Netbeans. Além de sair de graça, é mais leve e, a menos que você use o Zend Debugger, não vai sentir falta de nenhum recurso do Zend Studio.

  4. emiliomw 24/04/2015 às 09\0919

    Bom dia Goncin. Eu estou tendo um problema no debian. Mesmo colocando o interpretador do PHP, ele continua danndo o bad gateway quando vou testar, e fica informando que falta o caminho do interpretador. O que tenho que fazer para resolver isto?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: