goncin@wordpress.com:~$ _

Linux, programação e toda sorte de nerdices

Por que o ASP clássico ainda sobrevive?

Eis uma questão para a qual não encontrei ainda uma resposta única. Lançado em dezembro de 1996 (segundo informações da Wikipédia), o ASP clássico é hoje um pré-adolescente rebelde que deveria ter morrido ainda criança, mas nunca chegará à idade adulta com maturidade.

Acredito que ele tenha-se tornado popular entre os programadores Visual Basic que, pela necessidade de fazer alguma coisa para a emergente web da época, encontraram naquele um caminho fácil e rápido (mas não necessariamente melhor). Muitos desses profissionais (?!) encontraram ali sua zona de conforto e, diante do passar dos anos e do surgimento de novas tecnologias, preferiram continuar no bom e velho modus operandi.

A Microsoft, creio, também concorreu para a sobrevida dessa obsoletice. Ao introduzir o framework .NET, fê-lo de forma abrupta, sem que os desenvolvedores houvesse tido um caminho suave de transição. Diante da constatação de “ter que aprender tudo de novo”, afinal, “já deu um trabalhão aprender da primeira vez, entender como funciona”, a gente preferiu continuar vendendo sites novos baseado em tecnologia e código velhos.

O resultado de tudo isso são milhões de linhas de código legado, ao qual alguém precisa dar manutenção. E eis que acabei de me tornar mantenedor de alguns milhares dessas linhas.

Anúncios

17 Respostas para “Por que o ASP clássico ainda sobrevive?

    • Pedro Rodrigues 22/09/2012 às 15\0345

      Eu também ainda desenvolvo em asp como freelancer, mas em Portugal é cada vez mais difícil arrumar um emprego numa empresa como programador asp, depois que surgiu o ASP.NET.

      Eu sou da opinião que não importa como tá feito o site.. Funciona ? Então tá optimo. Não tem bugs, óptimo. Não é uma dor de cabeça para customizar, óptimo.
      Penso que quando se desenvolve algo, tem que se pensar muito bem como se vão fazer as coisas, e não começar a escrever linhas de código.
      Eu por norma perco umas boas horas a desenvolver o sistema de banco de dados. Depois disso passo ao desenvolvimento, e quando o faço penso na forma dessa aplicação ser aplicável noutro cliente de outra forma, sem que para isso seja necessário muitas alterações e muitas linhas de código.
      Melhor pensar assim do que andar “martelando” código o tempo todo e fazer remendos aqui e acolá.

      Já mexo com ASP.NET e Visual Studio, mas não me vejo com experiência para o fazer numa empresa 8 horas por dia.
      É uma reviravolta em termos de programação que demora um pouco se acostumar.

      Se alguém estiver precisando de um programador asp experiente (mexo desde 2002) contacte-me. Em regime de freelancer ou quem sabe de modo a que me mude de malas e bagagens para o Brasil desde que alguma empresa me chame para o efeito, pois Portugal por aqui é só estágios para recem-licenciados ou então experiencia de .NET de 3 ou mais anos.

  1. Bruno Codeman 31/03/2011 às 00\1226

    Eu sinceramente acho que a culpa é sim da Microsoft, mas não por introduzir o .NET. A culpa é deles por ainda fazerem o IIS suportar a porcaria do ASP.

  2. Jonathan 04/02/2012 às 02\0210

    Pois é, mais quando não havia porra nenhuma a porcaria do ASP era a solução.

  3. João Batista 22/03/2012 às 09\0921

    Incrível!! não concordo nem um pouco com essa matéria. Chamar o asp de porcaria é ofender todo um trabalho que roda (E FUNCIONA) desenvolvido com muita seriedade. Quero ver quando acontecer contingências onde algo tem que funcionar naquele momento e de forma muito, mas muito rápida, se o tal .net vai salvar a pátria. Linguagem boa é aquela que voce domina e gera produtos que comtemplem 3 coisas: Manutenção rápida, funcionabilidade e boa gestão de recursos. técnicos. Podem fazer uma aplicação na linguagem mais desenvolvida que quizerem, mas se não respeitar essas 3 cosias, nada feito. O asp ainda é o campeão da mão-na-roda. Me lembro quando disseram que o delphi ia morrer, a quem morreu foi o vb. O delphi ta ai, e voce conseque compilar aplicações antigas, sem muitos problemas.

    • goncin 22/03/2012 às 10\1011

      João Batista,

      Isto não é uma “matéria” (no sentido jornalístico), mas apenas um post que expressa a opinião de uma pessoa – no caso, a minha. Posso não concordar com a sua posição, mas é meu dever respeitá-la.

      • João Bastista 03/04/2012 às 22\1027

        De qualquer maneira, peço desculpas e respeito sua opinião, mas… mesmo sendo um post, vejo mudanças muito rápidas nas linguagens de desenvolvimento, simplesmente porque não conseguem equacionar a velha fórmula que citei acima. Trabalho com desenvolvimento oracle, já faz bastante tempo, e o que vejo é até interessante, faz bastante tempo que o oracle se mantem e só cresce mais e essas linguagens de font-end se proliferam.

      • Pedro Rodrigues 22/09/2012 às 15\0350

        João Batista.
        Tirei uma formação de Oracle DBA recentemente.. Adorei..
        Como é trabalhar nessa área ? Sei que existem duas vertentes do DBA Oracle , Sistemas ou Aplicacional. Qual é a sua ?
        Se encaixar numa empresa é difícil ? No Brasil penso que existe mais abertura para “ensinar” a alguém que já tenha conhecimentos mas não muita experiência. Que eu tenha visto não vejo estágios ou recrutamento de DBA’s Oracle sem que não seja com experiência de mais de 3 – 4 anos.

  4. Miriede 20/04/2013 às 11\1148

    O articulador escreveu oq escreveu pois, de certa, tem a mente tão fechada quanto a das pessoas q ele julga dessa forma. Fica claro q ele nunca entendeu (ou quis entender) o potencial da ferramenta (ASP não é uma linguagem de programação), tão pouco absorveu aquela máxima, programa bom depende do programador. Aquela pecinha q faz acontecer. Já vi aplicações em ASP (3 camadas) de alta performance extremamente robustas, cleans e bem feitas. Inclusive com manutenções muito facilitada, apesar da complexidade requerida.

  5. RENATO PEREIRA 17/07/2013 às 18\0600

    Chego até a achar engraçado achincalharem o ASP e duvidar do profissionalismo dos desenvolvedores que atuam nessa plataforma onde comungam linguagens como VBscript, JScript, HTML e até SQL pelo método runSql. Se existe essa boa vida de orientação a objeto, arrastando e colando figurinha de um lado para outro, é porque alguém com o skill de um bom ASPeiro Clássico sentou o dedo e codificou as classes e os métodos, para serem chamados posteriormente ao bel prazer dos dotnets da vida. Beleza! É o princípio da reutilização de código, mas se ilude quem pensa que isso é impossível de se fazer com o ASP clássico. Quem menospreza o ASP por ser procedural desconhece o potencial da plataforma, a qual pode ser trabalhada conceitualmente de maneira muito próxima da orientação a objeto com subs e functions estruturadas. Agora tem que saber trabalhar direito! O problema é que, pela própria característica da plataforma em não ser orientada a objeto, é permissível todo o tipo de codificação, até a mais amadorística, o que não significa que a plataforma de desenvolvimento é menor por causa disso. Respeito todas as opiniões acima, menos as que diminuem a tecnologia e os profissionais que atuam nela com qualidade, por causa de uma visão limitada e meramente preconceituosa.

    • Rafael Flu 01/08/2013 às 01\0153

      Em 2006, ASP Clássico era considerado, pelos especialistas da época, como a melhor plataforma de desenvolvimento!!!

      • Pedro Rodrigues 01/08/2013 às 06\0633

        Eu ainda desenvolvo em ASP e não me julgo “parado no tempo”. Sei .NET e C# mas não tenho necessidade de o usar de momento.
        Juntando o ASP com CSS, JQuery/Jquery Mobile, XML, XSL, uso de WebServices consegui o que pretendo.
        Tendo um MacBook e o editor Coda, não preciso de nada da Microsoft para desenvolver.
        O que faz uma boa aplicação não é a linguagem de programação onde está desenvolvida mas sim a forma como foi concebida e a funcionalidade tendo em conta o tipo de utilizador.

  6. Cesar Sanches 17/02/2014 às 11\1130

    Oi Pessoal, procuro programador asp clássico para free-la remoto, peço que se alguém tiver alguma disponibilidade envie email p/ cesargaspoint@gmail.com, grato, Cesar.

  7. Fabio Vitorino 23/09/2014 às 23\1124

    E ai Galera, preciso de um programador web como Freelancer remoto, a quem possa interessar, pode me contatar pelo email mutafestamparia@gmail.com

  8. Felipe 10/03/2015 às 01\0127

    Por favor, entrem contato, preciso de programador asp clássico, meu email é felipebedin@msn.com

    Aguardo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: